terça-feira, 14 de abril de 2009

flor para uma flor


óleo sobre tela,
50 x 70
acadêmico,
trabalho muito difícil de ser realizado,
em aproximadamente
três meses

14 comentários:

PESA - dar disse...

Fantastično, kako samo lijepe latice cvjetova !

Kátia Almeida disse...

Muito delicada essa pintura. Trabalhosa, mas valeu a pena. bjs

Kátia Almeida disse...

Muito delicada essa pintura. Trabalhosa, mas valeu a pena. bjs

Angela Ladeiro disse...

Trabalho não importa se o resultado é bom. E a flor merece!

Cristiana Fonseca disse...

Olá netuno,
linda pintura, uma verdadeira obra de arte. Amei o estudo das cores.
Eu é que aprendo muito com tua magnífica arte. Parabéns.
Abraços,
Crisfonseca

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDO AMIGO SÉRGIO, EU FICO FASCINADA A OLHAR PARA AS TUAS OBRAS DE ARTE... ESPANTOSO TALENTO... ADOREI AMIGO!!!
ABRAÇOS E BEIJINHOS DE CARINHO E TERNURA,
FERNANDINHA

Ana Martins disse...

Caro amigo Sérgio,
M A R A VI L H O S O! ! !

Lindo, lindo lindo, adoro flores, e estas são maravilhosamente belas.

Beijinhos,
Ana Martins

Humana disse...

São lindas as flores!
Beijinhos meu amigo.

tossan disse...

beija-flor
nectar da flor
cheira a flor
pinta a flor
faz arte com a flor
mostra ao mundo
esta tua flor
é bela a tua flor...

Abraço

Phaty disse...

A lenda das Orquídeas

Na cidade de Anam, existia uma jovem chamada Hoan-Lan, que divertia-se em fazer penar suas paixões aos seus numerosos adoradores
Mas o poderoso Deus das Cinco Flechas, que a tudo via e tudo ordenava, julgou que era o momento de castigar tanta maldade, fazendo a jovem volúvel apaixonar-se pelo formoso Mun-Cay
Um dia, Hoan-Lan decidiu sair-lhe ao encontro e declarar-lhe paixão.

- Não me interessas, rapariga ! - disse ele. - És como todas as outras. Para mim não vales nada. Se fosses como aquela que eu amo... Esta sim, é uma deusa. Tu, mísera Hoan-Lan, com toda tua vaidade, não serves nem para atar-lhe as fitas das sandálias. E, com um sorriso desdenhoso, afastou-se.
Hoan-Lan foi então implorar ajuda ao Deus das Cinco Flechas, e esse a escorraçou.
Na saida do Templo encontrou uma bruxa com pes de cabra que lhe fez uma proposta.
Vende-me a tua alma e juro-te que, embora Mun-Cay não te ame, não amará a outra mulher
Um dia, vendo ao longe seu adorado Mun-Cay, correu para ele e, quando se preparava para abraçá-lo, o jovem foi transformado numa árvore de ébano.
A bruxa então disse, ves? Ele jamais poderá amar outra mulher...
Perdoa-me, Mun-Cay. Tem para mim uma só palavra de amor, de indulgência e compaixão. Não vês como me arrasto aos seus pés, como te abraço, como sofro.
Assim ficou por dias até que um Bom Genio se apiedou da jovem e antes que a bruxa viesse buscar sua alma, ele a transformou.
Os olhos da jovem brilharam como pontos de ouro e as suas carnes tomaram a tonalidade do nácar. Os seus formosos braços enrolaram-se na árvore na derradeira súplica.
E assim apareceu a primeira orquídea do mundo, segundo a lenda do Anam.

(Muitas pessoas acreditam erroneamente que as orquídeas são parasitas, no entanto elas apenas usam o hospedeiro para fixar suas raízes).

Sua pintura mostra toda a beleza, o requinte e a elegancia da orquídea.

Beijos

Ana Martins disse...

Caro amigo Sérgio,
Venho dizer-lhe que há no Ave Sem Asas, um presente para si.

Beijinhos,
Ana Martins

missixty disse...

Estive a ver assim por alto os teus trabalhos (infelizmente não tenho muito tempo para visitar muitos blogs) e achei alguns fantásticos, desde aquele dos Descobrimentos,à pintura da Comitiva do pantanal.
Muito talento e engenho!
beijinhos

ubbalda disse...

Lindas orquídeas. Sente-se falta do perfume das cathléias.
A natureza leva mais de tres meses para produzir umas assim. Ciclo de 1 ano.
Porem duram menos que tua obra, que ficará sempre em alguma sala e quarto. Oxalá pudesse ser o meu.

Anônimo disse...

lindas